Posts Tagged ‘terra rossa’

Australia: Parte IV

8 de Fevereiro de 2013

Dando prosseguimento à região de South Australia, vamos sair um pouco da vizinhança de Adelaide já comentada em artigos anteriores e prosseguir na direção sul a caminho do estado de Victoria. Conforme mapa abaixo, observamos uma extensa região acompanhando o frio litoral australiano denominada Limestone Coast. Como sugere o nome, é uma região com importante presença de calcário onde algumas regiões destacam-se como Padthaway e principalmente Coonawarra.

Região relativamente fria para padrões australianos

Coonawarra distante cerca de quatrocentos quilômetros a sul de Adelaide é uma pequena região com solo muito particular denominado “terra rossa”. Elabora um dos melhores Cabernets australianos num terroir diferenciado. Favor ver artigo especial neste mesmo blog denominado “Terroir Coonawarra”.

Padthaway, embora não tão famosa, elabora tintos e brancos bem equilibrados, fugindo um pouco da exuberância e maciez dos vinhos australianos. Seu Chardonnay destaca-se como varietal, apesar do cultivo da Riesling, Cabernet e Shiraz. Seus vinhos frequentemente são misturados com os de outras regiões, fato comum na concepção australiana.

Wrattonbully, Mount Benson e Robe são regiões ainda em desenvolvimento onde dificilmente há menção de seus nomes em rótulos. Normalmente, quando são engarrafados sem mistura, a menção Limestone Coast é mais apropriada, sobretudo em termos comerciais.

Terminando South Australia, observamos no mapa acima a produtiva região de Riverland. Aliás, uma das mais produtivas de toda a Austrália. Dependendo fundamentalmente de irrigação através do rio Murray, seus vinhos destacam-se muito mais pelo volume do que propriamente pela qualidade. A região é extremamente quente e seca. Tem papel estratégico na produção de vinhos relativamente simples, com grande apelo, e preços altamente competitivos no mercado internacional, fazendo jus ao grande poder de fogo dos vinhos australianos no comércio de exportação. É bom lembrar que South Australia é o estado mais produtivo, elaborando quase metade de todo vinho australiano.

Próxima região, New South Wales.

Terroir:Coonawarra

30 de Maio de 2011

Nas minhas aulas sobre terroir, sempre menciono esta região australiana, pertencente à sub-região South Australia, famosa também pelos belos Shiraz de Barossa Valley.

Coonawarra dista 400 Km a sudeste de Adelaide e está dentro da região denominada Limestone Coast, conforme figura abaixo. Pelo nome, a presença de calcário é marcante e especificamente em Coonawarra, o solo tende a ser pantanoso, com um lençol freático bastante alto. Entretanto, a norte da pequena cidade de Penola (em aborígene quer dizer grande pântano), existe uma faixa de terreno com dois quilômetros de largura por quinze de comprimento, onde há uma sobre-elevação do terreno com um solo absolutamente diferenciado, denominado Terra Rossa.

Limestone Coast: esta região já foi mar

Este solo é composto por uma camada de aproximadamente meio metro de argila vermelha, daí a origem do nome, seguida por uma fina camada de calcrete, a qual precisa ser quebrada para o aprofundamento das raízes da videira. Em seguida, temos um sub-solo de calcário puro com um bom suprimento de água. A figura abaixo esclarece a explicação.

Coonawarra: solo único

Geologicamente, Coonawarra ao longo de 600.000 anos elevou-se sessenta metros em relação ao nível do mar, passando por doze eras glaciais. Além deste solo de excelente drenagem e adequado suprimento de água para as videiras, Coonawarra dista apenas 60 km da costa meridional, com um oceano gelado e de ventos úmidos, sobretudo no inverno. O solo e clima da região, propiciam maturação lenta das uvas com ótimos níveis de acidez, fatores pouco usuais para padrões australianos.

Cabernet Sauvignon diferenciado

Nestas condições, a Cabernet Sauvignon ganha destaque em proporcionar vinhos diferenciados, embora a emblemática Shiraz também tenha sucesso. Os dados climáticos da região em termos de umidade, horas de sol e índices pluviométricos, se aproximam muito de Bordeaux, especificamente na região do Médoc, comprovando mais uma vez, a vocação da tardia Cabernet Sauvignon em Coonawarra.

O rótulo acima John Riddock da vinícola Wynns é prova de um autêntico Cabernet Sauvignon do Novo Mundo extremamente diferenciado. Apresenta níveis de acidez e estrutura tânica notáveis, proporcionando surpreendente longevidade. Os aromas de frutas escuras são de grande tipicidade, e um leve toque de menta reforça sua origem novo-mundista. Muito equilibrado e com boa expansão de aromas. Este vinho é importado pela Mistral (www.mistral.com.br) e pode ser tomado com tranquilidade até dez anos a partir de sua respectiva safra.

 


%d bloggers like this: