Montagne de Corton e suas três faces


O terroir na Borgonha nunca foi fácil de entender, mas tem algumas regiões onde tudo fica mais complicado. É o caso da Montagne de Corton onde temos várias inclinações, altitudes e exposições, permitindo a elaboração de dois Grands Crus, um tinto e um branco, fato único no cenário bourguignon.

montagne de corton

as três comunas que rodeiam a montanha

De acordo com o mapa acima, nas três comunas que rodeiam a montanha, temos a apelação Grand Cru, tanto de tinto, como de branco. Aloxe-Corton em destaque no mapa, é a comuna principal. Veremos abaixo em detalhe, cada uma delas.  

aloxe corton e pernand vergelessesapelações em lados opostos da Montanha

Aloxe-Corton

Os brancos aqui são raros pelas características do solo, em sua maioria mais argiloso e com alguma pedregosidade. Na parte alta da montanha temos a presença de calcário  e sílex (pedregoso), favorecendo a produção de brancos. Em resumo, perto do cume, predominância de brancos da apelação Corton-Charlemagne. Pode haver nesta área tintos mais leves com a apelação Corton Grand Cru. Já no meio da colina para baixo temos exclusivamente o tinto Grand Cru sob a apelação Grand Cru. Vinhedos como Le Clos de Roi, Les Renardes, e Les Bressardes, são famosos pelos melhores Cortons tintos.

Leroy: a perfeição em Corton-Charlemagne

Os vinhos abaixo e acima são de grande distinção e exclusividade. Este branco Corton-Charlemagne de Madame Leroy é suntuoso, de uma presença em boca magnifica, aliando com precisão potência e elegância. As vinhas não chegam a meio hectare de área, produzindo pouco mais de 1800 garrafas. Uma raridade!

Quebrando a tradição de Vosne-Romanée, Domaine de la Romanée-Conti numa aquisição minúscula no terroir de Corton começou elaborar a partir 2009 o Grand Cru tinto Corton em três dos principais Climats com apenas 2,27 hectares de vinhas (Clos du Roi, Bressandes, e Renardes). Sem dúvida, uma cuvée especialíssima com a marca DRC (foto abaixo).

CORTON DRC

a nova joia DRC fora de Vosne-Romanée

Pernand-Vergelesses

Esta porção por detrás da montanha faz a vez do que conhecemos como Hautes Côtes de Beaune com vinhedos de orientação quase oposta a Aloxe-Corton, na confluência de três vales formados por Savigny-Les-Beaune, Pernand-Vergelesses e a própria Montagne de Corton.

Como vemos no mapa acima, até recentemente, havia a apelação Charlemagne para brancos Grands Crus, absorvida agora por Corton-Charlemagne. Portanto, a famosa lista dos 33 Grands Crus da Borgonha, baixou para 32 Climats. Devido à exposição dos vinhedos, aliados a solos com forte presença do calcário e sílex, os brancos predominam amplamente com a apelação Grand Cru Corton-Charlemagne, embora haja algum tinto sob a apelação Corton Grand Cru. Evidentemente, um Corton de mais acidez e taninos um tanto ríspidos.

img_1651

uma raridade em tinto

Ladoix Serrignya comuna menos prestigiada

Ladoix-Serrigny

Obedecendo o mesmo raciocínio de Aloxe-Corton, Ladoix-Serrigny produz brancos Grand Cru Corton-Charlemagne nas partes mais altas da colina com solos ricos em pedra calcária e sílex. Nas partes imediatamente mais baixos, a argila favorece a produção de tintos Grand Cru Corton. Há em pontos isolados a produção de branco Grand Cru Corton. Em comparação com a comuna vizinha, os vinhos não são tão impactantes.

img_5848

exemplar raro de Corton branco

Montagne de Corton-expositionsas várias exposições da montanha

Do esquema acima, percebemos que as orientações leste e sudeste são mais favoráveis ao perfeito amadurecimento da Pinot Noir nas comunas de Aloxe-Corton e Ladoix-Serrigny com vários vinhedos da apelação Corton Grand Cru.

Já os vinhedos de orientação sul e sudoeste são mais frios, favorecendo o plantio da Chardonnay. Portanto, temos vinhedos Grand Cru Corton-Charlemagne e diminutas parcelas de Corton branco. A apelação Le Charlemagne Grand Cru foi absorvida pela apelação Corton-Charlemagne. 

Corton Blanc Grand Cru

Apenas um pequena parcela da apelação Corton é destinada aos brancos. Temos 91,53 hectares para os tintos e apenas 4,08 hectares para brancos. Esses brancos concentram-se nas comunas de Vergennes e Languettes. 

Enfim, um terroir bastante complexo em torno desta montanha que nos mostra muito bem os critérios para se plantar Chardonnay e Pinot Noir,  as duas uvas principais da Borgonha, num terreno que alterna calcário e argila, aliados a diferentes altitudes e exposições, formando um mosaico intrincado de Climats, a essência dos mistérios fascinantes da Montagne de Corton.

Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: