Muito além do outubro rosa


Quando se fala em vinho rosé, muita gente ainda torce o nariz. Se nos brancos o preconceito diminuiu muito nos últimos anos, com os rosados ainda ele persiste, mas há muitos motivos, além do calor saariano desse setembro e outubro, para escolher um rótulo dessa cor. Os rosados (excluídas as borbulhas, que são caso à parte) são versáteis e gastrônomicos, vão muito bem com saladas e com frutos do mar e também com um prato de que o brasileiro muito gosta: a pizza.

Os bons exemplares, com destaque aos da Espanha, Portugal, França e Itália, não são invasivos, têm um belo frescor, e seus aromas cítricos, de tempero e ervas, combinam com boa parte das pizzas e algumas preparações de frutos do mar, com destaque especial às paellas (aqui principalmente os da Provence).

Feita a abertura, vamos a algumas opções de rótulos no mercado brasileiro:

Abaixo de R$ 70, a solução se chama Pizzato. A vinícola gaúcha é tiro certeiro quando o assunto é preço e qualidade. Faz um rosé acessível e que pode ser tentado com uma boa pizza de margheritta.O molho de tomate, as ervas (orégano) ajudam na combinação.

A Provence é o terroir dos mais reputados rosés do planeta. Dois vinhos, ao redor de R$ 115 na importadora Clarets, são excelentes pedidas. O primeiro é o Triennes 2018, da subregião de Aix-en-Provence, cujos acionistas são dois pesos pesados da Bourgogne: Aubert de Villaine e a família Seysses, do Domaine Dujac. O vinho tem frescor, acidez justa, aromas de morangos e um leve floral. O outro é o Pure 2019, da Mirabeau, corte de Grenache e Syrah, com um leve toque de bergamota, num conjunto difícil de resistir.

Provence: melhor época, campos de lavanda, passeios e mais | Viagem e  Turismo
A Provence vai além dos rosés

Na Delacroix, há uma outra ótima pedida rosada da Provence: o Château de Roquefort produz o Corail a apenas cinco quilômetros de Cassis. Na boca muito frutado e com um toque de ervas, um pouco mais estruturado que os outros dois anteriores. Excelente companhia da Paella. Custa por volta de R$ 160.

Deixada a Provence de lado, que tal uma garrafa de Etna rosato? Esse terroir siciliano tem uma mineralidade bem expressa, quaisquer as cores da taça. O vulcão faz toda a diferença. Esse aqui de Girolamo Russo é um dos melhores exemplares de rosados no mercado: https://www.wines4u.com.br/tipo/rose/etna-rosato-doc-2018-girolamo-russo.html. Camarões frescos grelhados acompanhados por esse aqui…

A Espanha tem talvez o mais destacado rosé do mundo, vindo da Tondonia, disputado a tapa pelos consumidores dos quatro cantos do planeta. Importado pela Vinci Vinhos aqui, ele quando chega, mal é anunciado, é vendido para uma lista secreta. Nunca tive o prazer de bebê-lo ainda, mas nunca ouvi arrependimentos.

Em relação a rótulos mais acessíveis: os rosés de Navarra, região contígua à famosa Rioja, apresentam-se bem equilibrados. Uma sugestão aqui é o Gran Feudo Rosado, por volta de R$ 120, na Mistral.

Portugal também tem seus rosados. Dirk Niepoort, um dos melhores produtores do planeta, faz um ótimo, versátil e gastronômico rosado na linha Redoma, atualmente em falta na importadora Grand Cru. Dirk não erra, sejam os vinhos doces, fortificados, secos, tenham quaisquer cores do arco íris.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: